Bastidores do livro "O rio do sangue dos meninos pretos"

junho 24, 2022


Quem é aficionado pelo universo literário e não sabe como funciona cada etapa do projeto editorial com certeza já se perguntou: o que aconteceu após o autor ter finalizado a escrita e enviado o livro para a editora? Como foi o processo, quem foram os profissionais que foram responsáveis pelo produto que está aqui, lindo e acessível, em minhas mãos?

Pensando nisso, eu, Lorena Camilo, a editora do livro O rio do sangue dos meninos pretos, irei te contar cada etapa do processo editorial do nosso novo lançamento. Vem conferir!

Planejamento editorial

Assim que recebemos o original O rio do sangue dos meninos pretos do autor Gabriel Nascimento, duas pessoas da nossa equipe leram o livro para avaliar tanto a narrativa e também para escolher quem seriam os profissionais ideias para trabalhar em cada etapa do projeto.

Na sequência, foi realizada uma reunião onde a equipe decidiu que o projeto seria realizado via crowdfunding, ou seja, financiamento coletivo, pela plataforma Catarse.

Realizada a leitura, escolhido os profissionais, a equipe foi dividida em:

Financeiro: responsável para estudar e analisar o produto, recompensas, além de ser responsável pela contabilidade dos profissionais, materiais, distribuição.

Gestão e marketing:
planejar toda a estrutura e estratégia do projeto, ficar responsável pelas redes sociais, divulgação, análise de desenvolvimento e da plataforma Catarse, interação com o público.

Design: responsável pela identidade visual, ilustração, diagramação, artes de divulgação.

Editorial: leitura crítica, leitura sensível, preparação e revisão.

Todo esse processo foi destrinchado em uma plataforma para nos guiar, darmos check quando concluirmos para todos estarmos cientes sobre o andamento do projeto. Além disso, criamos um canal de comunicação para falarmos abertamente e de forma ágil com todos os profissionais da equipe.

Editoração do original

A editoração do arquivo que foi enviado pelo autor Gabriel Nascimento foi iniciada nos primeiros dias de fevereiro. Antes de começar de fato a editar o livro, li os três primeiros capítulos para conhecer a escrita, linguagem, a construção narrativa, personagens e ambientação para entender as características particulares do texto.

Na sequência, retornei ao primeiro capítulo, agora fazendo comentários, sugestões de reescrita, questionamentos, inserindo provocações além de dúvidas de pontos que haviam ficado incompatível, seja com a proposta ou com o que já havia sido escrito anteriormente.

Para me ajudar neste processo criei o que intitulei de “diário de leitura”, que foi um arquivo em que escrevi todas as minhas impressões, os ganchos, plots, e detalhes da sequência narrativa ao final de cada capítulo. Esse diário foi escrito com o intuito de ser enviado para o autor compreender como o livro foi lido, interpretado, com comentários de partes essenciais de conteúdo da narrativa.

Outro ponto em que o diário foi essencial foi para análise da costura narrativa, onde identifiquei o que seria melhor para a continuidade se alterássemos dois capítulos de posição, além da sugestão de escrita de um capítulo para narrar sobre uma personagem em específico.


Logo, o que feito foi: estudo da narrativa, uma leitura crítica e sensível repleta de comentários para dissecar o texto, a escrita de um diário de leitura, e uma revisão de todo esse processo antes de encaminhar o arquivo para que o autor visse e fizesse as edições cabíveis para lapidar o original.

A partir disto tivemos várias trocas de e-mails, algumas reuniões para conversarmos sobre as edições para chegarmos tanto na melhor versão do original quanto na construção narrativa idealizada pelo autor, Gabriel. Quando ele deu o ok, sabíamos que havíamos concluído a saga policialesca das personagens.

Antes de encaminharmos o original para diagramação, eu enviei o arquivo para um profissional revisar, inserir comentários para termos a garantia de que se não passou nenhum ponto gramatical, ortográfico e semântico.

As pautas de O rio do sangue dos meninos pretos

A narrativa do livro de Gabriel Nascimento é uma fábula policialesca que se passa em um mundo onde não existem pretos, apenas um rio grande e vermelho que cresce a cada dia. Logo, com essa premissa já fui ciente que deveria ter um olhar sensível quanto a linguagem e temática.

A leitura desse original em específico requereu um olhar sensível não no sentido de expressões, palavras ou comportamentos considerados ofensivos, mas um olhar atento para passar as críticas sociais, políticas e semânticas da melhor forma possível para os leitores.

Um dos intuitos do autor é não ser professoral, entregar para o leitor a resposta do mote de sua narrativa logo nas primeiras páginas, mas explorar que o senso crítico seja desperto durante a leitura, como se os leitores estivessem de mãos dadas com as personagens TioZito, Maria Raimunda e Rita.

Para estimular a sua curiosidade sobre essa saga novelesca te dou spoilers: as pautas do livro giram em torno de crítica antissionista a produção de armas em larga escala; corpos melaninados como alvos preferenciais que fortalecem um sistema de extermínio vigente na sociedade brasileira; a linguagem e seus vocábulos não aparecem de forma arbitraria, sendo cada palavra e neologismo pensado estrategicamente para questionar a uniformização que vem da fala até o se portar e estar na sociedade.

Apoie a realização deste livro no Catarse!

O novo lançamento de Gabriel Nascimento, é um romance histórico com narrativa novelesca, contado a ouvintes do futuro uma importante mensagem: o mundo pode até deixar de ser racialmente preto, mas nunca deixará de ser culturalmente preto.


O livro ainda conta com um prefácio incrível escrito pela autora Eliana Alves Cruz, um posfácio redigido pela pesquisadora e Doutora na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e ilustrações da artista Elisa Ribeiro (Eletrisa).

Preparamos recompensas imperdíveis para estimular ainda mais o apoio de nossos leitores! Tem para todos os gostos: marcador, pôster e ecobag. Confira só essa imagem com todas as recompensas disponíveis para você escolher o que vai querer levar para casa!


Lorena Camilo














Lorena Camilo é editora, preparadora, revisora e redatora de textos. Apaixonada pelo mundo das letras é bacharel em Estudos sobre Edição (2017) e Estudos Literários (2020), e atualmente está cursando o mestrado em Literaturas Modernas e Contemporâneas.

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts